segunda-feira, 22 de dezembro de 2014

ABERTO PROCESSO SELETIVO INTERNO PARA ADMISSÃO AO CURSO DE PROCEDIMENTOS ROTAM /2015

SEGUNDA-FEIRA, 22 DE DEZEMBRO DE 2014

Fonte: Blog do Cabo Júlio
O processo seletivo será realizado conforme as orientações contidas no edital executado pelo Batalhão ROTAM com o objetivo de se lecionar militares para admissão ao CPR/2015.


Serão oferecidas 40 (quarenta) vagas, sendo:
a) 05(cinco)vagas para Tenentes da Polícia Militar de Minas Gerais do QOPM;
b) 06(seis) vagas para Sargentos da Polícia Militar de Minas Gerais do QPPM; 
c)24(vinte e quatro) vagas para Cabos ou Soldados da Polícia Militar de Minas Gerais do QPPM;
d) 05( cinco ) vagas para militares pertencentes às Forças Armadas e outras Instituições Policiais Militares da Federação (COTER). 

A indicação deverá ocorrer entre militares que se encontrem, no máximo, no posto de oficial intermediário e sejam militares de carreira independente do posto ou graduação

As inscrições serão feitas na AET da Unidade de origem do candidato, no período de 19/12/2014 a 08/01/2015. Os militares oriundos de outras Corporações poderão fazer contato com a Seção de Treinamento do Btl ROTAM através dos telefones (31) 2123-1721/1734 ou pelo e - mail btlrotam-p3@pmmg.mg.gov.br.

Edital disponível na INTRANET.

Read more at http://blogdocabojulio.blogspot.com/2014/12/aberto-processo-seletivo-interno-para.html#efDjeDQ8jS3IbHf9.99

Policial Civil é preso pela Polícia Militar com carro de luxo furtado

Ilustração e conteúdo: BLOG DA RENATA


Policiais militares prenderam um policial civil acusado de receptação de veículo furtado. A prisão aconteceu quando os policiais da viatura do Grupo Especializado em Patrulhamentos em Área de Risco (Gepar) receberam uma denúncia anônima de que havia um homem armado com uma faca ameaçando pedestres na avenida Leopoldino de Oliveira.
Os policiais foram até a via, abordaram o policial civil S.M.V.N., 28 anos, e, com apoio de militares do Corpo de Bombeiros, conseguiram desarmar o acusado. Nesse momento, eles questionaram S., que disse que portava a arma branca para se defender de bandidos que queriam roubar seu veículo Mitsubishi ASX, de cor preta, com placas de Uberaba.
Os militares foram até o veículo e o acusado não quis abrir para que eles efetuassem buscas. Então, os PM’s acionaram a Polícia Civil e dois investigadores foram até o local. Os policiais iniciaram buscas no carro e encontraram maconha. Em seguida, eles realizaram vistoria no automóvel e foi constatado que ele estava adulterado e tinha sido furtado em uma residência na rua Espírito Santo, no bairro Santa Maria.
O automóvel foi apreendido e removido ao pátio credenciado pelo Detran. O policial civil acusado de receptação foi preso em flagrante, levado para a delegacia e apresentado ao delegado de Plantão.

 Jornal de Uberaba

Homem escala Basílica de São Pedro para protestar contra governo italiano

22/12/2014 05h31 - Atualizado em 22/12/2014 05h48

Esta é a quinta vez que Marcello di Finizio sobe na Basílica, no Vaticano. 

Empresário protesta contra reformas na lei de serviços na Itália.

Da AP
Empresário italiano subiu no teto da entrada da Basílica de São Pedro, neste domingo (21) para protestar contra gobverno italiano (Foto: AP Foto/Alessandra Tarantino)Empresário italiano subiu no teto da entrada da Basílica de São Pedro, neste domingo (21) para protestar contra gobverno italiano (Foto: AP Foto/Alessandra Tarantino)
Um empresário italiano subiu na noite deste domingo (21) no teto da entrada da Basília de São Pedro, no Vaticano, para protestar contra reformas do governo na lei de serviços que deve aumentar a concorrência.

Esta é a quinta vez que o empresário Marcello di Finizio invade o Vaticano. Ele falou à agência Associated Press que escolheu o local porque era mais visível do que na cúpula, onde escalou nas outras quatro vezes.

O empresário disse que ficaria no teto da entrada até que as autoridades italianas aceitam recebê-lo. “Se alguém tentar impedir a minha ação, tudo terminará em tragédia”, disse Di Finizio. “A verdade é que não tenho nenhuma segurança. Se me tocam ou tentam me pegar eu vou cair”, afirmou.

Ele disse estar sem água, alimentos ou cobertores.

Di Finizio disse que começou a perder seu negócio na cidade de Trieste devido às reformas do governo italiano, que pretendem adaptar o país às normas europeias e deixar o setor de serviços mais competitivo.
Pela quinta vez, o empresário Marcello di Finizio sobe na Basílica de São Pedro, no Vaticano (Foto: AP Foto/Alessandra Tarantino)Pela quinta vez, o empresário Marcello di Finizio sobe na Basílica de São Pedro, no Vaticano (Foto: AP Foto/Alessandra Tarantino)

Turistas lotam praias de SP e contemplam 'arco-íris de fogo'

Temperatura média na Baixada Santista foi de 32 graus neste domingo.

Morador de Bertioga registrou fenômeno raro no céu da cidade.

Do G1 Santos
Fênomeno raro foi visto no céu de Bertioga, no litoral de São Paulo (Foto: Fernando Morato / Arquivo Pessoal)Fênomeno raro foi visto no céu de Bertioga, no litoral de São Paulo (Foto: Fernando Morato / VC no G1)
O fim de semana de altas temperaturas levou muitos turistas e munícipes para as praias da Baixada Santista na manhã deste domingo (21). Com a média dos termômetros marcando 32 graus na região e o tempo abafado, um morador de Bertioga, no litoral de São Paulo, conseguiu registrar um fenômeno raro no céu, conhecido como 'arco-íris de fogo'. A reportagem foi sugerida por meio da plataforma colaborativa VC no G1 pelo internauta Fernando Morato.
Turistas aproveitam para caminhar nas praias (Foto: Natasha Guerrize / GloboEsporte.com)Turistas aproveitam para caminhar nas praias
(Foto: Natasha Guerrize / G1)
Segundo Fernando Morato, ele e a família se preparavam para um passeio quando algo chamou a atenção deles no céu da cidade. "Uma imagem magnífica, lindíssima. Logo percebemos que se tratava de um fenômeno", descreve. 
Morato contou que ele e a esposa ficaram tão impressionados com a cena que foram pesquisar sobre o tal fenômeno. "Minha esposa foi pesquisar e descobrimos que se tratava de um fenômeno raríssimo chamado arco íris de fogo".
Segundo especialistas o círculo brilhante semelhante com as cores do arco-íris é formado por cristais em nuvens chamadas cirrus. Para que isso aconteça, o sol tem que alcançar uma altitude específica e a luz solar precisa entrar nos cristais de gelo em um determinado ângulo.
Imagem chamou atenção de turistas que passavam o fim de semana em Bertioga (Foto: Fernando Morato / Arquivo Pessoal)Imagem colorida no céu chamou atenção em Bertioga (Foto: Fernando Morato / VC no G1)

Coreia do Norte se diz preparada para confronto com os Estados Unidos

22/12/2014 03h26 - Atualizado em 22/12/2014 07h50

EUA dizem que país asiático tem ligação com ataque hacker à Sony.

Obama não considerou ataque um ato de guerra.

Do G1, em São Paulo
Segurança protege entrada de sala de cinema nos EUA durante pré-estreia do filme 'A entrevista' (Foto: REUTERS/Kevork Djansezian/Files)Segurança protege entrada de sala de cinema nos
EUA durante pré-estreia do filme 'A entrevista'
(Foto: REUTERS/Kevork Djansezian/Files)
A Coreia do Norte divulgou neste domingoo (21) um comunicado em que volta a negar envolvimento com o ataque cibernético sofrido pela Sony Pictures, afirma que os Estados Unidos deve pedir desculpas por indicá-la como culpada, e diz que seu Exército está preparado para um confronto com o país da América do Norte.

No dia 24 de novembro, um ataque cibernético reivindicado pelo grupo autodenominado "Guardiães da Paz" (GOP, na sigla em inglês) atingiu o sistema da Sony Pictures e, fez ameaças contra o lançamento do filme "A entrevista", uma comédia sobre um plano da Agência Central de Inteligência americana, a CIA, para matar o líder norte-coreano, Kim Jong-un. O FBI diz que o GOP está ligado a Pyongyang.
Em comunicado publicado pela agência estatal "KCNA", o regime de Jong-un afirma que "o Exército e o povo da RPDC (Coreia do Norte) estão completamente preparados para um confronto com os EUA em todos os espaços de guerra, incluindo a cibernética".
"Nosso mais duro contra-ataque será dirigido à Casa Branca, ao Pentágono e a todo o território continental dos Estados Unidos superando amplamente o contra-ataque simétrico declarado por (Barack) Obama", afirma Pyongyang no comunicado.

Mais cedo neste domingo, Obama disse à rede de televisão norte-americana CNN que não considera a invasão ao sistema da Sony Pictures um ato de guerra, mas disse que é um ato de vandalismo cibernético. Obama também disse que o governo vai debater sobre a possibilidade de colocar a Coreia do Norte de volta à a lista de países que patrocinam o terrorismo.
A inclusão nessa lista negra representa restrições à ajuda externa, a proibição das exportações e as vendas da área de defesa, controles sobre certas exportações e diversos impedimentos financeiros e de outro tipo.

A Coreia do Norte reiterou que não tem nada a ver com a agressão cibernética à Sony e inclusive propôs ao FBI realizar uma investigação conjunta dos fatos, mas os serviços de inteligência americanos descartaram esta opção. Os Estados Unidos rejeitaram a proposta. Segundo o comunicado, a conclusão do FBI "não passa de um novo documento inventado".
O país ainda diz que aprecia a ação do "Guardiães da Paz", porque ela impediu a circulação do filme "A entrevista" e considera "afortunadas" as medidas da Sony, que cancelou a estreia do filme que, segundo a nota, "incita o terrorismo que não deve ser tolerado em qualquer país ou região".

"Os Estados Unidos devem refletir sobre suas condutas más que levaram a essa desgraça, pedir desculpa ao povo coreano e à humanidade mundial e não questionar os outros atrevidamente", conclui o comunicado.
Veja a cronologia do caso:
Outubro de 2013 – Sony Pictures anuncia os atores Seth Rogen e James Franco como protagonistas da comédia "A entrevista".
Cena do filme 'A entrevista' que mostra a morte da versão fictícia do ditador da Coreia do Norte, Kim Jong-un (Foto: Reprodução/Sony Pictures/The Telegraph)Cena do filme 'A entrevista' que mostra a morte da
versão fictícia do ditador da Coreia do Norte, Kim
Jong-un (Foto: Reprodução/Sony Pictures/
The Telegraph)
20 de junho de 2014 – Após a divulgação do primeiro trailer do filme, autoridades da Coreia do Norte dizem que "A entrevista" é um símbolo do "desespero" da sociedade norte-americana, mas um porta-voz não oficial de Kim Jong-un afirma que o ditador provavelmente vai assistir ao filme de qualquer maneira.
10 de julho: Em uma carta a Ban Ki-moon, o embaixador da ONU Ja Song Nam reclama do filme e diz que "as autoridades dos EUA devem tomar ações imediatas e adequadas para proibir a produção e distribuição do filme".
14 de agosto: Sony declara a possibilidade de remover uma cena do filme em que o rosto de Kim Jong-un é mostrado derretendo.
24 de novembro: Fontes da Sony dizem que a empresa foi hackeada e chantageada por um grupo que deixou a mensagem: "Hacked by #GOP. Aviso: Nós já avisamos vocês, e isto é apenas o começo. Temos obtido todos os seus dados internos, incluindo segredos e grandes segredos."
1º de dezembro: Ao menos cinco filmes inéditos da Sony "vazam" na web.
2 de dezembro: FBI inicia investigações sobre o envolvimento norte-coreano com o ataque hacker.
4 de dezembro: A Coreia do Norte nega envolvimento em ataque contra a Sony.
16 de dezembro: Guardians of Peace ameaça atacar as salas de cinema que exibirem "A entrevista", faz menção ao atentado de 11 de setembro e afirma ainda que "o mundo será tomado pelo medo".  A pré-estreia do filme em Nova York é cancelada após as ameaças.
17 de dezembro: Sony anuncia o cancelamento do lançamento de "A entrevista" em todos os cinemas dos EUA.

Ex-gerente da Petrobras diz ter alertado Graça Foster pessoalmente

Venina afirma ter denunciado irregularidades em contratos desde 2008.

Em entrevista ao Fantástico, ela fez apelo para funcionários denunciarem.

Do G1, com informações do Fantástico

 A ex-gerente da Petrobras Venina Velosa da Fonseca diz que informou pessoalmente à presidente da empresa, Graça Foster, sobre irregularidades em contratos de diversos setores da companhia, quando a executiva era diretora de Gás e Energia. Em entrevista exclusiva ao Fantástico, exibida na noite desde domingo (21), Venina contou que “percebeu que havia irregularidades” em 2008 e que, desde então, reportou problemas aos superiores, entre eles o gerente-executivo, diretores e a atual presidente.
Veja a íntegra da entrevista e leia a transcrição em "Ex-gerente diz que alertou Graça Foster sobre desvios"

A documentação com as denúncias da gerente, que está afastada, foi entregue ao Ministério Público, que investiga o escândalo de corrupção na Petrobras e que resultou na Operação Lava Jato.

A ex-gerente negou ter participado de "esquemas" na Petrobras e disse que "vai até o fim" nas denúncias. Ela afirma que outros funcionários da empresa possuem conhecimento das irregularidades. E fez um apelo para que todos eles sigam seu exemplo e também denunciem o que sabem sobre o esquema de corrupção na estatal.
Segundo ela, as irregularidades eram de vários tipos: pagamentos por serviços não-prestados, contratos aparentemente superfaturados, negociações em que eram solicitadas comissões para as pessoas envolvidas e uma série de problemas que feriam o código de ética e os procedimentos da empresa.
Segundo Venina, havia o "esquartejamento" de projetos para dificultar a fiscalização.
'Estive com Graça Foster'
A ex-gerente assegurou que Graça Foster foi informada das irregularidades não só por email, mas, também, pessoalmente.

"Num primeiro momento, em 2008, como gerente-executiva, eu informei ao então diretor Paulo Roberto Costa, informei a outros diretores como a Graça Foster, e em outro momento, como gerente-geral, eu informei aos meus gerentes-executivos, José Raimundo Brandão Pereira e o Abílio [Paulo Pinheiro Ramos], que era meu atual gerente-executivo. Informei ao diretor [José Carlos] Cosenza (...) Informei ao presidente [José Sérgio] Gabrielli. Informei a todas a pessoas que eu achava que poderiam fazer alguma coisa para combater aquele processo que estava se instalando dentro da empresa", afirmou.

Na época, Graça Foster era diretora de Gás e Energia. Ela assumiu o atual cargo em fevereiro de 2012, substitutindo Sérgio Gabrielli, que estava no cargo desde julho de 2005.

"Eu estive com a presidente [Graça Foster] pessoalmente quando ela era diretora da área de Gás e Energia. Naquele momento, nós discutimos o assunto. Foi passado uma documentação pra ela sobre o processo de uma denúncia na área de comunicação. Depois disso, a gente (...) ela teve acesso a essas irregularidades nas reuniões da diretoria-executiva", declarou Venina Velosa. "Em nenhum momento, se não houve a compreensão daquilo do que eu estava falando, fui chamada a dar esclarecimento a respeito do assunto", acrescentou.

Ela mostrou o conteúdo de um e-mail enviado a Graça Foster em outubro de 2011, na qual diz que gostaria conversar "olhando direto nos seus olhos".
Perguntada sobre a declaração de Graça Foster que disse não ter entendido o que a ex-gerente disse na época, Venina disse que como gestora teria buscado uma explicação e que a então diretora tinha muito acesso a ela. "Éramos próximas. Então, ela teria toda a liberdade chegar e falar: 'Venina, o que está acontecendo?'", afirmou.
Encontro com Paulo Roberto Costa
Venina lembrou que, ao relatar o problema ao atual delator do esquema, Paulo Roberto Costa, foi acusada de “querer derrubar o governo”.

“Esse evento aconteceu quando eu fui apresentar o problema que ocorreu na área de comunicação, que eu cheguei na sala dele e falei, 'olha aqui tem só uma amostra do que tá acontecendo nessa área'. Eram vários contratos de pequenos serviços onde nós não tínhamos conhecimento do tipo de serviço, se aquilo estava sendo realmente prestado. Mas mostrava um esquartejamento do contrato. Aí naquele momento, eu falei: 'eu nunca soube nada disso, eu estou sabendo disso agora e eu acho que isso é muito sério e acho que devemos que tomar atitude em relação a isso'. Aí ele pediu que eu procurasse o gerente responsável e pedisse pra que ele parasse”, relembra ela.

“Ai eu falei com ele o seguinte: 'ele já fez, não tem como eu agora chegar e falar 'vamos esquecer o que aconteceu e vamos realmente trabalhar diferente daqui pra frente''. Existia um fato concreto que tinha que ser apurado e que tinha que ser investigado. Aí nesse momento ele ficou muito irritado comigo. A gente tava sentado numa mesa da sala dele, ele apontou pro retrato do Lula, apontou também pra direção da sala do Gabrielli e me perguntou: 'você quer derrubar todo mundo?' Aí eu fiquei assustada e falei pra ele assim: 'olha, eu tenho duas filhas, eu tenho que colocar a minha cabeça num travesseiro e dormir, e no outro dia de manhã eu tenho que olhar nos olhos dela e não sentir vergonha'”.

Paulo Roberto Costa, que chefiou a diretoria de Abastecimento de 2004 a 2012, assinou um acordo de delação premiada para contar o que sabe em troca de uma possível redução de pena. Atualmente, cumpre prisão domiciliar.
Ela negou ter participado de qualquer esquema com Paulo Roberto Costa. "Se eu tivesse participado de algum esquema, eu não estaria aqui hoje. Eu não teria feito a denúncia que eu fiz, não teria ido ao Ministério Público, entregue o meu computador com todos os documentos que eu tenho desde 2002", disse.

Contratos do ex-marido
Venina rebateu uma denúncia de que teria beneficiado o ex-marido com um contrato feito na empresa. Ela relata que os contratos do ex-marido com a estatal eram de 2004 e de 2006 e que a condição que apresentou para assumir o relacionamento, em 2007, foi que o contrato fosse descontinuado.

"O contrato foi anterior ao casamento e, no momento em que a gente assumiu essa relação, a condição foi: vamos interromper esse contrato porque tem uma questão de ética dentro da Petrobras e minha que eu não posso aceitar. E isso foi feito com parecer jurídico", afirma.
"Agora, eu só quero deixar bem claro que essa empresa é uma empresa muito competente. Não fui só eu que fiz o contrato, a atual presidente quando trabalhava na [diretoria de] TVG, lá em 2001, 2002, também assinou um contrato com ele. E depois, talvez em 2008, também assinou um contrato com essa mesma empresa para fazer integração dos modelos de gestão das termoelétricas. Então o que eu posso falar é que ela fez isso com base nas características técnicas da empresa da mesma forma que eu fiz antes de me casar. E depois de casada nós interrompemos o contrato", acrescentou.

Convocação a demais funcionários
Venina lembra que, durante todo o processo da comunicação das irregularidades, foi "assediada" e “pressionada” por assistentes da diretoria e da presidência que falavam: "tem muita gente envolvida, você não pode tratar essa questão dessa forma”. Em seguida, diz que recebeu "várias" ameaças por telefone.

"A única coisa que me sobrou foi meu nome. E quando eu vi que eles colocaram meu nome associado a coisas que eu não fazia, eu chamei minhas duas filhas e falei: 'olha meninas, ou eu reajo e tento fazer, limpar meu nome, ou vou deixar isso acontecer, a gente vai ter uma certa tranquilidade agora e o trator vai passar por cima depois'", disse.
Venina admitiu ter medo das consequências das suas denúncias, mas disse que irá "até o fim". E convocou os funcionários da Petrobras a terem a mesma atitude.
“Eu tenho medo? Tenho medo. Mas eu não vou parar. Eu espero que os empregados da Petrobras, porque eu tenho certeza que não foi só eu que presenciei, eu espero que os empregados da Petrobras criem coragem e comecem a reagir. Nós temos que fazer isso para poder realmente fazer a nossa empresa de volta a ser o que era. A gente tem que sentir orgulho, os brasileiros têm que sentir orgulho dessa empresa. Eu vou até o fim. Eu tô convidando vocês pra virem também”, completou.
Petrobras diz que tomou todas as providências
A Petrobras voltou a declarar que tomou todas as providências para elucidar os fatos citados por Venina Velosa da Fonseca. Segundo a empresa, não procede a afirmação de que não houve apuração sobre as irregularidades apontadas por Venina porque todas foram encaminhadas às autoridades competentes.

A Petrobras também repetiu que, possivelmente, a funcionária trouxe a público as denúncias porque foi responsabilizada por uma comissão interna. A empresa reafirmou que Graça Foster e José Carlos Cosenza não sabiam de irregularidades e que a presidente da Petrobras só foi informada dessas irregularidades, por Venina da Fonsenca, no dia 20 do mês passado.

O ex-presidente da Petrobras, Sergio Gabrielli, afirmou que nunca foi informado diretamente por Venina da Fonseca sobre a existência de corrupção na empresa.

A defesa de Paulo Roberto Costa declarou que praticamente todos os aspectos investigados pelo Ministério Público Federal foram mencionados na delação premiada do ex-diretor e que não há como comentar incidentes específicos.

O ex-presidente Lula não quis se pronunciar. E os demais citados na reportagem não foram encontrados.

E em entrevista publicada neste domingo por jornais da América Latina, a presidente Dilma Rousseff afirmou que o Brasil não vive crise de corrupção.

Entenda as denúncias de Venina
Há nove dias, uma reportagem do jornal "Valor Econômico" mostrou que a ex-gerente alertou diversas vezes sobre a ocorrência de irregularidades em contratos da Petrobras antes mesmo de a Polícia Federal (PF) deflagrar em março a Operação Lava Jato. Antiga subordinada do ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa, ela foi transferida para a Ásia após denunciar o esquema de corrupção e, posteriormente, foi afastada.

O jornal relatou que, apesar das advertências, a direção da empresa não agiu para conter os desvios bilionários e ainda destituiu de seus cargos os executivos que tentaram barrar o esquema de corrupção.
A Petrobras afirmou, na terça-feira (16), que a ex-gerente só enviou em novembro deste ano, à presidente da estatal, Maria das Graças Foster, e-mail alertando sobre irregularidades na refinaria de Abreu e Lima, em Pernambuco, e nas áreas de Comunicação do Abastecimento e à área de comercialização de combustível de navio (bunker).
"Os temas supracitados foram apenas levados ao conhecimento da Presidente através de email recente, de 20/11/2014, quando a empregada já havia sido destituída de sua função gerencial. Nesta data, as irregularidades na Comunicação do Abastecimento e na RNEST já haviam sido objeto de averiguação em Comissões Internas de Apuração, bem como as irregularidades da área de comercialização de combustível de navio (bunker) em Grupos de Trabalho", diz a Petrobras em nota.

Ainda segundo a estatal, Graça Foster respondeu a Venina no dia seguinte, "informando que estava encaminhando o assunto ao Diretor José Carlos Cosenza e ao Jurídico da Petrobras para averiguação e adoção das medidas cabíveis".

  •  
VALE ESTE - Arte Lava Jato 7ª fase (Foto: Infográfico elaborado em 15 de novembro de 2014)

Pela 1ª vez, mercado prevê inflação acima do teto da meta em 2015

22/12/2014 08h28 - Atualizado em 22/12/2014 09h05

Expectativa dos economistas para IPCA do ano que vem subiu para 6,54%.

Analistas também baixaram previsão de crescimento deste ano e de 2015.

Alexandro MartelloDo G1, em Brasília
Pela primeira vez, os economistas do mercado financeiro passaram a prever inflação acima do teto da meta de 6,5% no ano de 2015, segundo pesquisa conduzida pelo Banco Central na semana passada com mais de 100 instituições financeiras. O levantamento, que dá origem ao relatório de mercado, também conhecido com Focus, foi divulgado nesta segunda-feira (22).
Para este ano, a expectativa dos economistas para a inflação ficou estável em 6,38%. Para 2015, no entanto, a estimativa subiu de 6,50% para 6,54%. A meta de inflação é de 4,5%, com tolerância de dois pontos para mais ou para menos. Dessa forma, o teto é de 6,5%.
Em 12 meses até novembro, segundo informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o IPCA, considerada a inflação oficial do país, ficou em 6,56% – valor que ainda está acima do teto de 6,5%. A meta, porém, vale somente para anos fechados.
Produto Interno Bruto
Para o Produto Interno Bruto (PIB), os economistas baixaram a estimativa de uma alta deste ano de 0,16% para 0,13%. Foi a quinta queda seguida do indicador. Se confirmada, será a menor expansão desde 2009, quando o PIB teve retração de 0,33%. Para 2015, a estimativa de expansão da economia recuou de 0,69% para 0,55%, na quarta redução consecutiva.
O PIB é a soma de todos os bens e serviços feitos em território brasileiro, independentemente da nacionalidade de quem os produz, e serve para medir o crescimento da economia.
No fim de outubro, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) informou que a economia brasileira saiu por pouco da recessão técnica no terceiro trimestre de 2014 – quando o Produto Interno Bruto (PIB) cresceu 0,1% na comparação com o trimestre anterior. De janeiro a setembro, a economia teve expansão de 0,2% frente ao mesmo período do ano passado. Já no acumulado em quatro trimestres até setembro, a alta foi de 0,7%.
Taxa de juros
Para a taxa básica de juros da economia brasileira, a Selic, que avançou para 11,75% ao ano neste mês, a expectativa do mercado para o fechamento de 2015 permaneceu estável em 12,50% ao ano. Isso quer dizer que os analistas dos bancos esperam alta nos juros no próximo ano.
A taxa básica de juros é o principal instrumento do BC para tentar conter pressões inflacionárias. Pelo sistema de metas de inflação brasileiro, o BC tem de calibrar os juros para atingir objetivos pré-determinados. Em 2014, 2015 e 2016, a meta central é de 4,5% e o teto é de 6,5%.
Câmbio, balança comercial e investimentos estrangeiros
Nesta edição do relatório Focus, a projeção do mercado financeiro para a taxa de câmbio no fim de 2014 subiu de R$ 2,60 para R$ 2,65 por dólar. Para o término de 2015, a previsão dos analistas para a taxa de câmbio avançou de R$ 2,72 para R$ 2,75 por dólar.
A projeção para o resultado da balança comercial (resultado do total de exportações menos as importações) em 2014 passou de um déficit de US$ 1,6 bilhão para um resultado negativo de US$ 1,86 bilhão. Para 2015, a previsão de superávit comercial ficou recuou de US$ 5 bilhões para US$ 4,83 bilhões.
Para este ano, a projeção de entrada de investimentos estrangeiros diretos no Brasil permaneceu em US$ 60 bilhões. Para 2015, a estimativa dos analistas para o aporte avançou de US$ 58,2 bilhões para US$ 60 bilhões.

Presidência da República gasta R$ 262,8 mil em 'compras de fim de ano'

 por Portal Contas Abertas em Jornalismo / Atualizado 

*Vale ressaltar que, a princípio, não existe nenhuma ilegalidade nem irregularidade neste tipo de gasto feito pela União e que o eventual cancelamento de tais empenhos certamente não ajudaria, por exemplo, na manutenção do superávit do governo ou em


Governo não economiza nos gastos de fim de ano (Foto: Embratur/Divulgação)
A Secretaria de Administração da Presidência da República não está poupando nos gastos de fim de ano. Além da compra de eletrodomésticos, toalhas de banho e de rosto, também estão no Carrinho aparelhos de malhação e até roupões de banho. Ao todo, a conta sairá por R$ 262,8 mil.

A Presidência adquirirá um conjunto de banho completo por R$ 7,8 mil. Para 2015, a Pasta terá no estoque 50 toalhas de banho, 50 de rosto, 25 de mão, 20 tapetes e 12 roupões de banho. Todos os artigos na cor branca e de algodão nacional.

á a aquisição de 20 frigobares, 100 bebedouros e 30 fragmentadoras de papel custará ao órgão cerca de R$ 155,7 mil. A Presidência justificou a compra por eventuais atendimentos de cerimônias oficiais. Além disso, os eletrodomésticos substituirão equipamentos mais velhos.

Outros R$ 99,3 mil serão gastos pela Presidência na reposição de aparelhos de educação física. Na lista aparece um crossover angular, um banco extensor e outro flexor, um apolete, um crucifixo, duas esteiras eletrônicas e um smith machine (multi exercitador).

Segundo o órgão, a aquisição dos equipamentos ocorre em função da necessidade de manutenção ou melhoria do treinamento de força e do condicionamento físico do pessoal do Corpo de Segurança da Presidente da República e do Vice-Presidente da República, bem como de seus familiares. Os aparelhos devem auxiliar no tratamento de saúde (quando indicado) e para melhoria da qualidade de vida dos servidores.

O Gabinete da Vice-Presidência também não fugiu das compras. Os cafezinhos serão servidos em taças, conforme solicitação da chefia de gabinete. A Pasta adquirirá 50 “taças para café” por R$ 320,00.

O Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios comprará 210 sacolas plásticas ao custo de R$ 3 mil. As sacolas servirão como embalagens de reserva no almoxarifado do órgão para uso durante um ano. Os sacos terão alças e sustentam até um quilo.

Pensando no ano novo que está chegando, o VI Comando Aéreo Regional decidiu renovar os materiais de escritório. Para isso, foram separados R$ 3,3 mil. No carrinho do órgão, pode-se encontrar 170 agendas de couro sintético, 20 calculadoras eletrônicas, 2 mil capas para encadernação e 200 caixinhas de clipes.

Assim como o Comando, o Tribunal Regional Eleitoral do Rio Grande do Norte também comprará materiais permanentes. Serão cinco fogões a gás domésticos, 14 frigobares e 10 geladeiras ao custo de R$ 20,5 mil.

Reportagens

Loading...
Loading...
Loading...

Arquivo do blog