quarta-feira, 27 de julho de 2016

Leite de barata: o suplemento alimentar do futuro?

A proteína encontrada na ‘Diploptera punctata’ é três vezes mais nutritiva que a do leite de búfala

Uma equipe internacional de pesquisadores descobriu que um tipo de barata pode ser uma incrível fonte de nutrientes no futuro: a Diploptera punctata, espécie de barata, é capaz de produzir uma substância riquíssima em proteínas. De acordo com pesquisa publicada em junho na revista especializada International Union of Crystallography, o conteúdo calórico dos “cristais” com os quais esse animal alimenta seus filhotes é três vezes maior que o de leite de búfala, hoje considerado o alimento com as proteínas mais nutritivas.
Leia também:
A comida do futuro
Micro-ondas do futuro poderá contar calorias dos alimentos

Segundo os pesquisadores, a maioria dos insetos que recebe o nome de baratas põe ovos e, portanto, não sustenta seus filhotes com um alimento especial. Mas a Diploptera punctata tem um modo diferente de gerar sua prole, em um processo semelhante ao humano. Para alimentar as crias, ela produz um cristal proteico, como se fosse um “leite”, no meio de seu intestino. O fato de um inseto ser capaz de produzir esse nutriente impressionou os pesquisadores, mas a informação mais preciosa obtida pelas análises foi de que apenas um desses cristais proteicos é capaz de fornecer quatro vezes mais energia que o leite de vaca.
Publicidade
O problema é que os cientistas, liderados por especialistas do Instituto de Biologia de Células Tronco e Medicina Regenerativa (InStem, na sigla em inglês), na Índia, não conseguiriam extrair esse “leite” das baratas. Assim, eles sequenciaram os genes responsáveis pela produção desses cristais proteicos para tentar reproduzi-los em laboratório.
“Os cristais encontrados na Diploptera são como comidas completas, possuem proteínas, gorduras e açúcares. Se olharmos dentro das sequências das proteínas, elas possuem todos os aminoácidos essenciais”, afirmou o especialista Sanchari Banerjee, coautor do estudo, em comunicado.
Por isso, os cientistas alertam que esse não seria o tipo de alimento ideal para quem deseja perder peso – ou para a cultura ocidental, que já consome alimentos com muitas calorias. Esse tipo peculiar de proteína seria recomendado para pessoas que não conseguem consumir a quantidade necessária de nutrientes e calorias diárias, e poderia, no futuro, funcionar melhor como um suplemento alimentar.

Comida do futuro

Além disso, por ser altamente proteico e nutritivo, esse poderia ser um alimento ideal para as próximas gerações, que devem enfrentar uma “crise alimentar”: estudos recentes mostraram que nos próximos anos o planeta receberá uma quantidade de humanos cada vez maior e a produção de alimentos – principalmente de carne, fonte de proteínas – não acompanhará o crescimento populacional. Alternativas proteicas, portanto, serão fundamentais para garantir o sustento dos humanos.
Em estudos futuros, os cientistas devem tentar produzir esses cristais sintéticos em larga escala no laboratório, para verificar se seriam tóxicos aos humanos.

MC tenta ficar famoso dando tiro na própria boca. Imagens fortes

Rapper fez publicação polêmica no Facebook e tem conseguido milhares de acessos.

Compartilhe e ganhe dinheiro. Clique e saiba como!
Homem dá tiro na própria boca para ficar famoso
Um rapper americano virou um dos assuntos mais comentados dos Estados Unidos. Isso porque ele realmente tenta de tudo para ficar famoso e quando falamos de tudo é de tudo mesmo. Em um vídeo feito para ser postado no Facebook, o homem conhecido como 'Kasper Knighet' aparece com um pequeno revólver na mão e atirando contra a própria boca. As imagens são fortíssimas, mas o Facebook decidiu que elas não deveriam ser bloqueadas. A rede social sempre faz isso, quando a situação pode ser evidenciada como um #Crime e não um incentivo a realizar novas ações criminosas. O rapper agora pode ser denunciado por abusar em querer os quinze minutos de fama.
A estratégia midiática também foi muito criticada por internautas americanos e de todo o mundo. Dizem que o tiro acabou saindo pela culatra. Apesar disso, as imagens já foram compartilhadas mais de 16 mil vezes, além de ter mais de 600 mil exibições apenas no Facebook. A mídia local americana também transmitiu o vídeo forte em seus telejornais. Nele, aparece com a pistola apontada para a bochecha esquerda. Em seguida, ela faz uma cara de dor e dispara o gatilho. O homem chega a ficar tonto, mas comemora o fato de ainda estar vivo. Sua boca, no entanto, começa a sangrar muito. Ele não se incomoda, porém, de mostrar tudo isso no vídeo.
Além do vídeo, o profissional da música que tenta ganhar a carreira como MC, explica que quis mostrar a façanha para todas as pessoas e que quer incluí-las nos videoclipes. "Eu fiquei um pouco desorientado após o tiro porque meus ouvidos estavam doendo", disse o homem, que em seguida escreveu que acredita que engoliu o projétil que foi lançado na própria boca.
"Isso é um absurdo. Sua conta deveria ser bloqueada. Isso acaba sendo um estímulo à violência e isso não é nem um pouco saudável", disse um internauta completamente revoltado por não concordar com a publicação.
Veja abaixo o vídeo em que o homem aparece com um revólver atirando contra a própria boca. Lembramos que as imagens são muito fortes. Por isso, cuidado:
#Investigação Criminal
https://www.facebook.com/sharer/sharer.php?u=https%3A%2F%2Fwww.facebook.com%2Fempk.knight%2Fvideos%2F1724035864517336%2F&display=popup&ref=plugin&src=video

“Vou remar na m… por vocês”, promete atleta americana

E isso porque ela estava criticando a cobertura da Olimpíada pela imprensa estrangeira

Por: .
Disposta a tudo: remadora olímpica americana critica “obsessão” com sujeira no mar
Disposta a tudo: remadora olímpica americana critica “obsessão” com sujeira no mar
Mataram a onça. Apareceram restos humanos na praia do vôlei. Na Baía da Guanabara, também. Sequestraram a sogra do Ecclestone. Equipe de televisão australiana escapa de assalto de travestis. Tentaram roubar a tocha.
Prostitutas reclamam de falta de movimento. Zika. Superbactéria. William e Kate não irão. Golfistas não irão. Russos não irão. Roger Federer não irá. Hope Solo não ia, mas voltou atrás. Apareceu em trajes de guerra biológica. Teve a história dos cangurus versus encanadores. E, caso alguém tenha esquecido, mataram a onça.
A sequência de notícias sobre a Olimpíada nas últimas semanas é tão negativa que a remadora americana Megan Kalmoe resolveu reclamar. “Recado a todos que estão obcecados pela m… na água: parem com isso. Parem de tentar estragar a Olimpíada para nós”, escreveu ela no Guardian.
Megan, que foi medalha de bronze em Londres, queixa-se que os meios de comunicação só falam em zika e na água contaminada por todos os conhecidos horrores, ignorando o empenho de bons e honestos brasileiros. E dispara: “Se for preciso dizer, digo logo de uma vez para encerrar esse assunto: eu vou remar na m… por vocês.”
Em princípio, enquanto não começam as competições,  toda Olimpíada é precedida por reportagens negativas. Na China, era a poluição que envenenaria os atletas. Em Londres, uma grave falha no sistema de segurança.
Nos jogos de inverno de Sochi, o sistema de encanamento também entupia – depois se descobriu que o problema estava menos nos banheiros e muito mais nos laboratórios, onde os atletas russos escapavam de todos os exames de doping.
A encrenca com os russos, que – surpresa, surpresa – escaparam de um castigo coletivo no Rio, foi até agora a única coisa que impediu uma cobertura concentrada em zika, águas pútridas, instalações impróprias e criminalidade.
A mais devastadora reportagem sobre o “cozido tóxico” que espera os atletas de esportes aquáticos foi a de Andrew Jacobs, do New York Times. Devastadora, verdadeira e baseada em fatos e declarações de especialistas identificados. Não em “moradores de rua” e “porteiros” vagamente mencionados em outro artigo, do jornal mas nunca pelo nome – como se pobres não tivessem direito nem a identidade.
O truque do porteiro também aparece numa reportagem do Los Angeles Times. Correto ao identificar a falta de entusiasmo do público brasileiro em geral, o repórter se atrapalha ao publicar a análise estratégica de um escultor de areia e, claro, de um porteiro que não assistirá competições porque tem que trabalhar todo dia. Não seria essa uma regra válida para a população em geral?
As preferências  políticas das publicações também influenciam na cobertura esportiva, evidentemente. Os jornais que tinham simpatia pelo governo da presidente afastada agora se sentem na obrigação de colocar todos os erros na conta do interino.
O prefeito Eduardo Paes também não conquistou simpatias com a piada do canguru para acalmar os atletas australianos. “Arrogante”, decretou o Daily Mail. Entre outras reportagens do tipo que nos deixam sem saber se é para rir ou chorar, o jornal já falou – e fotografou – com prostitutas da Vila Mimosa, desanimadas com a falta de movimento, e moradores dos bairros perto das vias de acesso onde volta e meia balas “perdidas” acham alvos inocentes.
Para os tablóides ingleses que cobrem muito celebridades também é frustrante que tantos famosos tenham decidido ficar bem longe do Rio por causa do medo da zika. O príncipe William e Kate, loucos por esportes, são as baixas mais lamentadas.
E sempre seguidas do comentário de que pretendem ter um terceiro filho e não querem se arriscar. Charlene, a sul-africana que foi nadadora olímpica antes de se casar com o príncipe Albert de Mônaco, também não vai.
Uma providencial lesão no joelho tirou Roger Federer da zica do Rio. Quem gosta de golfe, esporte que retornaria ao cenário olímpico depois de mais de um século, vai ficar sem Jason Day, Rory McIlroy e Vijay Singh – e não adianta dizer que golfistas e tenistas profissionais sem preocupam mais com dinheiro do que com olimpíadas. Greg Rutherford, do salto em distância, congelou esperma antes da viagem.
É claro que o tom da cobertura vai mudar assim que começarem as competições. Isso se nenhum jornalista resolver apurar a história da onça morta em Manaus depois da passagem da tocha olímpica. Para leitores estrangeiros, não existe nada mais espantoso do que as palavras “jaguar shot dead” relacionadas a olimpíada. Nem a remadora no mar de matéria fecal.

Mulher de Lula cobra R$ 300 mil da Bancoop e da OAS por apartamento no Guarujá

Estadão Conteúdo
26/07/2016 - 16h03 - Atualizado 16h49
A ex-primeira-dama Marisa Letícia Lula da Silva ajuizou ação na 34.ª Vara Cível do Foro Central de São Paulo contra a Cooperativa Habitacional dos Bancários (Bancoop) e a empreiteira OAS cobrando R$ 300.817,37 "em parcela única e imediata". Os valores, segundo os advogados da mulher do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (2003/2010), se referem a restituição sobre cota-parte do apartamento 141 adquirida pela ex-primeira dama no condomínio Mar Cantábrico, atual Solaris, no Guarujá, litoral paulista.

Marisa, Lula, o filho mais velho do casal Fábio Luiz Lula da Silva, o Lulinha, e mais 13 investigados são alvo de denúncia do Ministério Público de São Paulo. Lula é acusado de lavagem de dinheiro e falsidade ideológica por supostamente ocultar a propriedade do tríplex 164-A no Solaris, reformado pela OAS ao custo de R$ 777 mil.

O tríplex 164-A é um caso emblemático na mira da Operação Lava Jato. A Polícia Federal e a força-tarefa do Ministério Público Federal atribuem ao petista a propriedade do imóvel. O caso está nas mãos do juiz federal Sérgio Moro. A defesa de Lula afirma que ele não é o dono do tríplex.

O Solaris era da Bancoop, a cooperativa fundada nos anos 1990 por um núcleo do PT. Em dificuldade financeira, a Bancoop repassou para a OAS empreendimentos inacabados, o que provocou a revolta de milhares de cooperados - eles protestam na Justiça que a empreiteira cobrou valores muito acima do previsto contratualmente.

Na ação distribuída para a 34.ª Vara Cível da Capital, Marisa afirma que, em abril de 2005, assinou Termo de Adesão e Compromisso de Participação com a Bancoop e adquiriu "uma cota-parte para a implantação do empreendimento então denominado Mar Cantábrico". A previsão de entrega, de acordo com a defesa da ex-primeira-dama, era 2007.

Leia mais:
Liminar suspende depoimentos de Lula e Marisa à Justiça
Zelador diz que Lula e Marisa deixaram de frequentar tríplex
Promotor do MP de São Paulo intima Lula e Marisa para depor como investigados
Engenheiro relata visita de Marisa a tríplex e diz que reforma custou R$ 777 mil


Segundo o documento, subscrito pelos advogados Roberto Teixeira, Cristiano Zanin Martins, Maria de Lourdes Lopes e Rodrigo V. Domingos, a Bancoop reservou previamente uma unidade do edifício que seria construído para Marisa Letícia.
"No caso, o apartamento 141 no Edifício Navia, uma unidade padrão, com três dormitórios (um com banheiro) e área privativa de 82,5 metros quadrados", descreveram os criminalistas.

Os advogados afirmam que Marisa Letícia pagou a entrada de R$ 20 mil, as prestações mensais e intermediárias até setembro de 2009. Segundo os criminalistas, naquele ano, a Bancoop repassou o empreendimento à OAS e deu duas opções aos cooperados: solicitar a devolução dos recursos financeiros integralizados no empreendimento ou adquirir uma unidade da OAS, por um valor pré-estabelecido, utilizando, como parte do pagamento, o valor já pago à Cooperativa.

A defesa afirma que Marisa Letícia à época não se manifestou sobre o tema, o fazendo em 2015 quando pediu a restituição dos valores colocados no empreendimento. Os advogados sustentam que, desde então, a Bancoop "não realizou a devolução do valor investido ou forneceu qualquer justificativa".
"Diante disso, esgotados os meios amigáveis e suasórios, a presente ação de restituição de valores tornou-se necessária", aponta a defesa.

"A autora (Marisa Letícia) chegou, posteriormente, a estudar a possibilidade de adquirir uma unidade no Edifício Solaris usando, como parte de pagamento, os valores que haviam sido pagos à Bancoop. Mas essa hipótese não se transformou em realidade, razão pela qual em 26 de novembro de 2015 a autora solicitou a restituição do valor integralizado no empreendimento ao assinar o Termo de Declaração e Requerimento de Demissão do Quadro de Sócios da Seccional Mar Cantábrico ("Termo de Demissão")."

Para os advogados, "ao assumir o empreendimento e comercializá-lo, a OAS se tornou co-responsável pelo ressarcimento da cota-parte dos cooperados".

Mineirão faz último simulado de ataques químicos e bombas antes da Rio

PREPARAÇÃO

Estádio vai receber dez jogos dos torneios masculino e feminino dos Jogos Olímpicos, em agosto


PUBLICADO EM 26/07/16 - 20h01- O Tempo
As forças de segurança do Estado realizaram, nesta terça-feira, no Mineirão, o último treinamento prático de defesa contra ataques químicos e neutralização de artefatos explosivos. A simulação, que incluiu procedimentos de evacuação da área, prevenção, descontaminação de agentes e neutralização bombas faz parte da preparação da cidade para os Jogos Olímpicos do Rio.
Belo Horizonte será palco de dez partidas de futebol dos torneios masculino e feminino. O Gigante já tinha recebido atividades semelhantes nas últimas semanas, mas o desta terça-feira foi focado na evacuação da torcida. Para isso, os agentes contaram com o apoio de 200 figurantes que se passaram por torcedores.
“Este simulado celebra todo o esforço que empreendemos durante os preparativos para as partidas e a cada treinamento nos sentimos mais preparados para fazer frente a este evento”, ressaltou o capitão dos bombeiros, Cristiano Soares.
Os militares do Corpo de Bombeiros treinaram o resgate de vítimas e a saída rápida do Mineirão. O Esquadrão Antibombas do Gate, da Polícia Militar, também fez a simulação de neutralização de um suposto artefato explosivo. A prática foi importante para treinar a percepção dos funcionários da Minas Arena – que vai operar o estádio durante as partidas – e dos torcedores.
“Este treinamento foi uma forma de coroar todos os preparativos para receber este evento. Hoje reiteramos a integração das forças de segurança, que está preparada e trabalhará de acordo com o que foi planejado nos últimos meses”, afirmou o tenente do Gate, Paulo Matos.

Capital tem um veículo furtado ou roubado a cada 72 minutos

Insegurança

Média leva em conta dados do primeiro semestre deste ano; recuperações também cresceram


Carro roubado
Cenário. Dados da Polícia Civil mostram um total de 3.703 ocorrências de furtos e roubos em BH
PUBLICADO EM 27/07/16 - 03h00
A cada 72 minutos, um veículo foi roubado ou furtado em Belo Horizonte, levando em conta os registros do primeiro semestre deste ano. Essas ocorrências aumentaram 24% em relação a igual período do ano passado: foram 3.703 em 2016, contra 2.974 em 2015. Segundo a Polícia Civil, o aumento desses crimes se deve a fatores como a crise econômica e a existência de um mercado lucrativo de desmanche e revenda de peças usadas.
A corporação também informou que o índice de recuperação subiu 16% na comparação dos dois semestres: de 2.105 veículos para 2.445. Mas um dos principais obstáculos para que esse resultado seja potencializado é a falta de informações sobre o crime em tempo hábil, segundo o delegado e coordenador de Operações Policiais do Departamento de Trânsito do Estado de Minas Gerais (Detran-MG), Adriano Assunção.
“Às vezes, a pessoa faz só o acionamento (da Polícia Militar) via telefone, depois que é roubada ou furtada, e não procura a unidade para prestar todas as informações. Nós fazemos as investigações, mas nem sempre temos toda a informação o mais rápido possível, e isso pode dificultar”, disse. Segundo ele, é necessário ir à delegacia para ratificar o furto ou o roubo em até 72 horas. Caso contrário, após esse período, o veículo passa a constar no sistema sem qualquer impedimento.
Em alta. A estudante Luísa Tannure, 24, está entre as vítimas que não conseguiram recuperar seu carro, roubado no último dia 30, no bairro Caiçara, na região Noroeste da capital, quando chegava no estágio, por volta das 13h. “Estava guardando o celular na bolsa, pronta para sair do carro, quando apareceu um homem armado e me mandou deixar tudo lá dentro e correr”, contou. Segundo ela, o policial que a atendeu disse que era a terceira ocorrência de roubo de carro no bairro naquele dia.
O Caiçara, segundo a PM, é um dos principais alvos de operações, devido ao alto número de furtos e roubos, assim como o Padre Eustáquio, na mesma região. “Fazemos o mapeamento dos crimes e aumentamos a presença de policiais nesses locais para fazer a prevenção”, afirmou o chefe da sala de imprensa da corporação, o capitão Flávio Santiago.
Conforme o delegado, o aumento do número de furtos e roubos de veículos deve levar em consideração a queda dos crimes registrada no ano passado, quando os índices caíram 15% em comparação com 2014. “Quando temos uma queda expressiva, qualquer aumento, mesmo que seja no ano seguinte, como aconteceu em 2016, já serve de alerta”.
Segundo ele, o aumento dos crimes está ligado, em parte, à crise econômica. “Há casos que verificamos em que as pessoas se associaram a outras para praticar esse tipo de crime em razão da sua condição. Teve um caso recente que conseguimos prender um autor de roubo de carro que tinha sido despedido do emprego há pouco tempo”, contou. Outro motivo, conforme o delegado, é o fato de que crimes de furto e receptação, não precedidos de violência ou ameaça, possibilitarem liberação mediante pagamento de fiança, o que favorece a reincidência.
Detran-MG
Mudança. A partir de hoje, o Departamento de Trânsito de Minas Gerais (Detran-MG) localizado na avenida João Pinheiro, na região Centro-Sul da capital, terá horário de atendimento ampliado.
Alteração. As senhas passarão a ser distribuídas até as 17h. Assim, haverá uma hora a mais para o atendimento presencial. A sede do departamento realiza serviços de habilitação e, por dia, recebe 900 pessoas, em média.
Outros canais. O cidadão pode consultar o site do Detran (detran.mg.gov.br), entrar em contato pelo telefone 155 ou ainda baixar o aplicativo para celulares MGApp, para sistemas IOS, Android ou Windows Phone.

Análise

Especialista defende melhor estrutura para investigação

Para o especialista em segurança pública Jorge Tassi, é necessário atacar o comércio paralelo de peças e focar na fiscalização da venda de veículos seminovos, além de incrementar a estrutura da Polícia Civil. “A corporação não tem a estrutura necessária para a investigação e não consegue dar conta de toda a demanda”, disse.
Segundo o delegado Adriano Assunção, a estrutura atual é “muito boa”. “Obviamente todo o acréscimo de pessoal, estrutura e tecnologia é muito bem-vindo, mas a gente tem uma perspectiva boa agora, porque vão formar na Academia cerca de 1.100 policiais civis”. Assunção informou que são realizadas operações para desbaratar quadrilhas especializadas.
Suporte legal. Ainda de acordo com o delegado, a Lei do Desmonte é a principal aposta na redução de furtos e roubos de veículos. A legislação determina que as empresas se credenciem ao Detran para a realização da atividade de desmontagem e identifiquem as peças dos veículos a serem revendidas.
“Quando eles desmontarem esses veículos, cada peça vai receber uma etiqueta que identificará a empresa que comprou, a empresa que desmontou, de qual leilão veio e qual é o chassi do veículo. O consumidor vai ter segurança de que está comprando uma peça legalizada, que veio de um desmonte regular, e não de um desmanche”, afirmou.

O sistema está em fase de testes e deve ser concluído no dia 2 de janeiro do próximo ano. (RM)

Bombeira que fez ensaio sensual sobre empoderamento pode ser presa

NO PARANÁ

Lilian teve a prisão de oito dias determinada pelo comando; ela já recorreu da sentença

Bombeira ensaio sensual
Bombeira participou do ensaio porque algumas amigas também tinham feito fotografias para projeto
PUBLICADO EM 26/07/16 - 21h04
Por ter participado de um ensaio sensual que tinha como objetivo mostrar o empoderamento feminino, a bombeira militar Lilian Villas Boas, 32, teve a prisão de oito dias determinada pelo comando do 7º Grupamento do Corpo de Bombeiros do Paraná, de acordo com o portal G1. Nas fotos sensuais, ela aparecia com parte dos seios à mostra.
Segundo uma nota da corporação publicada em um boletim interno, a punição foi por ela "ter exposta a intimidade e privacidade de seu corpo”. Conforme o G1, Lilian já recorreu da sentença. Ela disse que a pena ainda não foi cumprida.
A bombeira participou do ensaio porque algumas amigas dela também já tinham feito fotografias para o projeto. Após a publicação das fotos, que ficaram no site por menos de 24h, ela sofreu pressão dos comandantes para que as imagens fossem retiradas do ar.
Em nota, a Polícia Militar do Paraná informou que não pode se manifestar sobre o caso porque a bombeira ainda poderá recorrer à corporação para mudar a punição que recebeu.

Monarquistas sugerem que Fiesp exiba bandeira imperial em ato

anti-Dilma

Medida seria uma forma contornar a decisão do prefeito Fernando Haddad, que proibiu a exibição da bandeira nacional nos atos por entender que tal uso configura propaganda política


Bandeira imperial
A medida seria uma forma contornar a decisão do prefeito Fernando Haddad (PT), que proibiu a exibição da bandeira nacional nos atos

PUBLICADO EM 26/07/16 - 15h42
Um grupo que defende a volta do Brasil à monarquia sugeriu que a Fiesp exiba a bandeira imperial do Brasil em seu telão no protesto deste domingo (31) a favor do impeachment da presidente afastada Dilma Rousseff.
A medida seria uma forma contornar a decisão do prefeito Fernando Haddad (PT), que proibiu a exibição da bandeira nacional nos atos por entender que tal uso configura propaganda política, vetada pela Lei Cidade Limpa.
"A fim de evitar que os ânimos entre o Poder Público e esta importante Federação, que representa o cada vez mais depauperado empresariado, se acirrem, sugerimos sutil mudança. E a harmonia voltará a reinar entre nós...", dizia postagem em em redes sociais do "Pró Monarquia - Casa Imperial do Brasil".
Presença frequente nos protestos anti-Dilma, o movimento pede "o impeachment da República". Entre seus membros está Bertrand Maria José de Orléans e Bragança, herdeiro da família real brasileira.

terça-feira, 26 de julho de 2016

Imagem de 'Bolão do atentado' circula nas redes sociais

por Equipe do Blog
Yasuyoshi Chiba
Como qualquer assunto no Brasil vira piada nas redes sociais, a possibilidade de um atentado terrorista em território brasileiro durante os Jogos Olímpicos também entrou na roda.
Circula nas redes sociais a imagem de uma cédula com o título "Bolão do atentado", em que o apostador pode indicar o dia em que acha que um ato terrorista irá ocorrer.
Já dizia o ditado: "Com coisa séria..."
'Bolão do atentado': imagem circula nas redes sociais

Homem morre ao escalar poste e receber descarga elétrica antes de discurso de Dilma Rousseff

26/07/16 10:31


Homem morreu após levar choque
Homem morreu após levar choque Foto: Reprodução / Facebook

Fabrício Provenzano
Um homem morreu depois de escalar um poste e receber uma descarga elétrica, na Praça General Valadão, no Centro de Aracaju, na tarde desta segunda-feira, enquanto a presidente afastada Dilma Rousseff se preparava para fazer um discurso no ato Jornada Nacional Pela Democracia.
Em um vídeo que circula em redes sociais, é possível ver o momento em que o homem, que seria um flanelinha, leva o choque fatal.
IMAGENS FORTES

De acordo com informações da Secretaria Estadual de Saúde de Sergipe, a vítima, ainda sem identificação, aparentava ter idade entre 20 e 25 anos. Ele sofreu uma parada cardíaca e traumatismo craniano. O rapaz morreu quando era transportado para o Hospital de Urgências de Sergipe.
Até o fim da manhã desta terça-feira, segundo informações do Instituto Médico Legal (IML) de Sergipe, o corpo permanecia sem identificação.


Homem morreu depois de levar choque
Homem morreu depois de levar choque Foto: Reprodução / Facebook
A presidente afastada Dilma Rousseff chegou a Aracaju por volta das 15h30. Depois, seguiu para o centro da cidade, onde se reuniu com lideranças do PT, PCdoB e do MST. Ela discursou por cerca de meia hora para milhares de pessoas.Homem morre eletrocutado durante ato pró-Dilma em Sergipe

Governador de Alagoas diz que policial civil não exerce profissão de risco

Aliny Gama
colaboração para o UOL, em Maceió
  • Pedro Ladeira/Folhapress
    O governador de Alagoas, Renan Filho
O governador de Alagoas, Renan Filho Policial civil não exerce uma profissão que tenha risco de morte. Essa é a opinião do governador de Alagoas, Renan Filho (PMDB), Nesta segunda-feira (25), ele comentou sobre o assassinato do policial civil José Clerio Vieira, morto a tiros por assaltantes dentro de um ônibus em Maceió na última quinta-feira (21). A declaração do governador gerou indignação entre os policiais. O Sindicato dos Policiais Civis de Alagoas criticou o governador e o chamou de "desinformado".
"O cidadão não morreu porque era policial, não. Ele morreu porque entrou em uma situação de confronto com o bandido. Poderia ser com qualquer cidadão, infelizmente foi um policial. Policial civil não é profissão de risco, morrem pessoas de qualquer profissão, como da construção civil, funcionários públicos, e isso é fruto da violência", afirmou Renan Filho.
Vieira trabalhava na Central de Flagrantes I, localizada no bairro do Farol, e tinha acabado de sair do trabalho. Subiu em um ônibus da linha Gama Lins-Ponta Verde, da empresa Real Alagoas, por volta das 20h, a caminho de casa quando foi assassinado com três tiros na cabeça.
Apesar da afirmação do governador de que o policial reagiu ao assalto, câmera do circuito de imagens do ônibus registrou o assalto e o momento que Vieira foi atingido. O policial estava sentado em uma cadeira de costas para a porta. Um rapaz de camisa branca sobe no coletivo, vai para a parte traseira do veículo e anuncia o assalto. O policial permanece sentado na cadeira sem observar o que se passa e o ônibus segue viagem.
Na parada seguinte, o ônibus para e outro assaltante, de camisa preta, sobe com a arma escondida em um dos braços. Ele permanece na escada da porta do veículo dando cobertura ao outro assaltante. O comparsa começa a sair do ônibus.
Antes de a dupla descer, o assaltante de camisa branca sinaliza para o comparsa observar Viera - é neste momento que o de camisa preta atira por três vezes na cabeça do policial. Os criminosos desceram correndo do ônibus.
Em seguida, passageiros amedrontados saem correndo do veículo. O motorista do ônibus seguiu para o  pronto-socorro do Tabuleiro do Martins, mas o policial já estava morto.
Em seguida, o ônibus foi levado para Central de Flagrantes I, onde passou por perícia. A empresa entregou as imagens do circuito de filmagem à polícia para ajudar na identificação dos criminosos. Nenhum suspeito do crime foi preso.

Repercussão

O Sindpol rebateu a declaração feita por Renan Filho afirmando que ele fez uma "declaração infeliz e ainda teima em dizer que a profissão de policial civil não é de risco". O sindicato criticou a política de segurança adotada pelo Estado.
"A declaração mostrou que o governador está totalmente desinformado e sem conhecimento de como ocorreu o crime. Na noite do dia 21 de julho, os assaltantes reconheceram o policial civil José Clerio Vieira no ônibus. Não houve confronto do policial com o bandido, conforme revelou a investigação da polícia", informou o sindicato, em nota.
O texto segue informando que "policiais exercem sua profissão 24 horas por dia, estando em serviço ou não, porque quando estão de folga não deixam de ser policiais. Além disso, durante suas funções e fora dela, podem ser reconhecidos e serem alvos de bandidos. Quantos policiais civis precisarão morrer no combate à violência para que o governador mude o seu entendimento? O sindicato cobra o pagamento da periculosidade devido ao risco de vida ser inerente à atividade policial."

Cidade violenta

Segundo a ONG mexicana Conselho Cidadão para a Segurança Pública e Justiça Penal, Maceió é a quinta cidade mais violenta do Brasil, de acordo com dados divulgados este ano. Porém, em 2014, a capital de Alagoas ocupava o primeiro lugar na lista.
O Mapa da Violência de 2014 aponta Alagoas como o Estado mais violento do Pais. Segundo os dados, Alagoas tem a taxa de 64,6 assassinatos para cada 100 mil habitantes.

Mulheres vão iniciar o severo treinamento dos Boinas Verdes

Dois oficiais do Exército são as primeiras mulheres selecionadas para o curso.
Mas elas vão cumprir as mesmas exigências físicas aplicadas aos homens.

Da France Presse
France Presse26/07/2016 03h00 - Atualizado em 26/07/2016 03h00


Duas mulheres iniciarão em breve o severo treinamento de acesso aos Boinas Verdes, a força de elite do Exército dos Estados Unidos, até então restrita aos homens. "São as duas primeiras mulheres selecionadas" para o curso, disse o comandante Melody Faulkenberry, porta-voz da escola de formação dos Boinas Verdes, acrescentando que ambas são oficiais do Exército.
Os Boinas Verdes são uma unidade muito seletiva e a participação no curso não garante o acesso ao grupo.
A participação no curso e a possibilidade de integrar os Boinas Verdes é consequência direta da decisão do presidente Barack Obama, em vigor desde janeiro, de suprimir qualquer tipo de restrição ao acesso das mulheres às diferentes tropas das Forças Armadas.
Mas as mulheres devem cumprir as mesmas exigências físicas aplicadas aos homens.
No ano passado, três mulheres foram admitidas na Ranger school, o centro de treinamento de outra força de elite do Exército.
Desde então, nenhuma outra mulher repetiu a façanha, segundo o Exército.

Redes sociais serão protagonistas na busca por financiamento e voto

Raul Mariano e Bruno Moreno
primeiroplano@hojeemdia.com.br
26/07/2016 - 06h00 - Atualizado 06h51
Ministro Gilmar Mendes diz que novas regras para financiamento eleitoral serão "salto no escuro"
Ministro Gilmar Mendes diz que novas regras para financiamento eleitoral serão "salto no escuro"
O ambiente virtual será um dos principais campos de batalha das eleições municipais de 2016 não apenas para conquistar eleitores, mas também para arrecadar recursos para o financiamento das campanhas. Plataformas e aplicativos já estão entre as ferramentas disponíveis para a captação de doações de pessoas físicas e, segundo especialistas em marketing político, serão uma das apostas dos candidatos.
A busca por doações na internet será o meio alternativo ao financiamento por empresas, proibidas em virtude da nova lei eleitoral.
Uma das ferramentas já disponíveis é o aplicativo Voto Legal, criado pelo Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral (MCCE), que faz a conexão entre candidatos e eleitores doadores sem cobrança sobre as transações realizadas.
Em Belo Horizonte, o teto para as candidaturas à prefeitura é de R$ 26,6 milhões, mas especialistas acreditam que dificilmente ele será alcançado, já que as empresas não poderão doar aos candidatos.
O TSE autorizou as doações por meio da rede mundial de computadores, mas vetou que os candidatos participem de campanhas colaborativas nos formatos de crowdfunding, em que um determinado site reúne as doações de muitas pessoas e depois repassa o valor ao candidato.
Em entrevista coletiva na manhã de ontem, o presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Gilmar Mendes, deixou claro que a doação virtual só é permitida se os doadores forem identificados por meio de CPF. “Eu tenho a impressão de que a resolução veda esse tipo do crowdfunding, porque não permitiria a identificação do doador, salvo algum tipo de mecanismo ou software outro. Há muitas discussões sobre o assunto, a resolução, na linha do que estabeleceu a legislação, veda a doação anônima. Vale a regra da transparência absoluta”, esclareceu.
A resolução a que ele se refere é a 23.463, de 15 de dezembro do ano passado, que determina também a obrigatoriedade de que os valores sejam depositados direto na conta do candidato.
Criatividade

Para especialistas em marketing político, a criatividade será a grande moeda dos candidatos, uma vez que o financiamento por pessoas físicas será testado nestas eleições. Nos Estados Unidos, a prática já está enraizada. Aqui, o pleito deste ano será piloto.
Equilíbrio

Para o cientista político e especialista em financiamento eleitoral, Felipe Lima, mesmo com uma doação pouco expressiva de pessoas físicas, deve haver um limite entre a oferta e a demanda de contribuições para que a viabilização das campanhas aconteça de forma justa. [/TEXTO]
“Quem tem o Imposto de Renda maior pode doar mais. Portanto, deve tentar buscar mais equilíbrio entre os concorrentes. Um dos principais mecanismos seria um limite mais severo das doações, para que não haja a mesma discrepância de quando as campanhas eram financiadas por empresas”, explica.
Para o pesquisador, as próximas eleições funcionarão como um piloto e apenas depois dos resultados será possível verificar se houve efetivamente um redução dos custos ou se a lógica permaneceu a mesma.
“Não vivemos um cenário favorável. Os políticos estão perdendo credibilidade, as empresas ficaram impedidas de financiar campanhas e as campanhas vão pedir aos cidadãos para doarem dinheiro”, destaca Lima.
Para o presidente da Associação Brasileira de Consultores Políticos (Abcop), Carlos Manhanelli, a campanha começará com doações de militantes. “O esforço criativo é que vai substituir o dinheiro que vinha das empresas. Serão ações que demandam pouco custo e trazem altos benefícios”, explica. O esforço criativo nas redes terá que convencer o eleitor a doar, além de votar.
Convenções

A escolha dos candidatos já é possível. Em BH, os principais partidos realizarão as convenções a partir da próxima quinta-feira. O prazo final é o dia 5 de agosto.
Para receber doações, os candidatos devem realizar as convenções partidárias. O prazo começou no último dia 20. Depois, devem comunicar ao Tribunal Regional Eleitoral, que fornecerá um número de CNPJ. Com isso, já podem abrir conta em banco e receber doações.
Incertezas e temor de compra de CPFs preocupam Tribunal
O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Gilmar Mendes, declarou que a proibição do financiamento privado para as campanhas sem mudança no sistema eleitoral foi um “salto no escuro”. Para Mendes, a eleição municipal deste ano é um “experimento institucional” e em novembro deverá haver uma discussão sobre uma reforma no sistema eleitoral.
Ele disse que há a preocupação no TSE de que “organizações criminosas atuem de maneira mais enfática” no processo, em outubro. Um dos principais desafios, de acordo com o ministro, é fiscalizar quem são os doadores pessoa física para saber se têm condições de repassar a quantia declarada aos candidatos.
Ele informou que há preocupação de que haja compra de CPFs, como tentativa de burlar as novas regras. Mendes também reforçou que há uma preocupação com a realização de caixa 2, considerando o teto de gastos fixado em um valor mais baixo do que em eleições anteriores e a falta de recursos regulares.
Para Mendes, há “distorções” no teto de alguns municípios e por isso o TSE deverá discutir casos separadamente. “Não teremos condições de evitar a judicialização, questões ligadas ao Ficha Limpa, vamos ter impugnações das eleições, inclusive por essa questão ligada ao teto, abuso de caráter econômico. Por isso dizemos até constrangidamente que o resultado na proclamação será provisório (...) Vamos chegar a outubro sem que temas estejam definitivamente resolvidos”.
Gastos
Mendes anunciou que o gasto total com a eleição municipal deste ano deverá ficar em torno de R$ 600 milhões. Apesar de apenas 122 pessoas terem registrado candidatura a prefeito, vice-prefeito ou vereador até o momento, a expectativa de Mendes é de que o número chegue a cerca de 530 mil candidatos até o dia 15 de agosto, prazo final para os registros eleitorais.
“As convenções ocorreram também agora, no final de semana, e então nós estamos diante de decisões que certamente vão multiplicar esses números nos próximos dias”, disse o ministro.
Segundo o presidente do TSE, não há nenhuma “razão específica” para o baixo número de registros. “Ninguém desistiu da política. Certamente nos mais de 5 mil municípios teremos um número expressivo de candidatos”, declarou.
De acordo com Mendes, já houve uma redução nos prazos de campanha este ano e qualquer alteração no período estipulado para os registros eleitorais deve ser pensada para as eleições de 2018. Para ele, a ideia da redução de prazo já vinha sendo reforçada pelo TSE e somente após a eleição deste ano será possível analisar os benefícios reais do encurtamento dos prazos.

Além disso

Polêmico, o ex-presidente do Atlético, Alexandre Kalil (PHS), disse que irá usar da ignorância caso vença as eleições para a Prefeitura de Belo Horizonte. “Nós estamos no pré-modernismo político. Esse modelo não adianta. Temos que partir para a ignorância”, afirmou em vídeo postado na página do Twitter dele.
Kalil postou três vídeos na rede social. Neles, conta como pretende governar, caso eleito. “A ignorância é a palavra que suscitou a ciência moderna. Só sei que nada sei. Vamos começar a falar: do jeito que tá não dá (sic)”, completou.
O ex-cartola disse ainda que não irá pedir conselhos à presidente afastada Dilma Rousseff (PT) e ao presidente interino Michel Temer (PMDB). Nos vídeos, ele diz que fará um governo diferente. “Eu não vou perguntar nem pro Jucá, nem pro Renan Calheiros, nem pro Michel Temer, nem para a Dilma e nem pro Lula como é que faz. Nós temos que achar um jeito de fazer. Um jeito novo. (sic)”, afirmou.
Segundo ele, em BH, é preciso gastar melhor os recursos públicos. “Eu tinha vontade de gerir esta cidade para pôr cada um em seu lugar. Distribuir melhor esta montanha de dinheiro que é arrecadada nesta cidade”, destacou.
Kalil é famoso pelas declarações polêmicas. Ele anunciou, há cerca de dez dias, que será candidato a prefeito.
A legislação eleitoral permite que o candidato divulgue plataformas eleitorais neste período. O que não pode é usar meio pago ou pedir votos.

Redes sociais serão protagonistas na busca por financiamento e voto

Polícias reforçam contingente para garantir segurança de delegações em Minas

Alessandra Mendes
amfranca@hojeemdia.com.br
26/07/2016 - 06h00 - Atualizado 07h45
Um dos desafios para as forças de segurança em Minas é garantir a integridade de atletas que já chegam para a preparação para a Olimpíada. Isso inclui a escolta e transporte das delegações, inclusive das consideradas como mais visadas para ataques, como a França. Uma tarefa não muito fácil para o Estado que tem a maior malha rodoviária do país e um contingente abaixo do ideal até mesmo para a rotina diária sem evento especial.
Para evitar incidente, as polícias Rodoviária Federal (PRF) e Militar Rodoviária (PMRv) terão reforço no efetivo e focarão a fiscalização em locais estratégicos. Os pontos considerados primordiais pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) ficam nas principais rodovias do Estado: BRs 040 e 381. A atenção estará voltada especialmente para Juiz de Fora, que receberá nove delegações.

Leia também:
Polícia Militar retoma treinamento para os Jogos Olímpicos
A fiscalização na 040, que liga Juiz de Fora ao Rio de Janeiro e a BH, será concentrada no transporte de passageiros e cargas perigosas e no fluxo de turistas estrangeiros. “Há reforço na busca minuciosa em veículos que estão de entrada no Estado do Rio de Janeiro e em Juiz de Fora, sempre em busca de drogas, armas e outros ilícitos”, diz em nota a PRF.
Postos de fiscalização na Grande BH terão reforço nos dias de jogos na capital e aumento de agentes também será encaminhado para o Estado.
Os comandos da PRF e da PMRv cancelaram folgas e férias dos agentes durante os Jogos Olímpicos
Já o foco da PMRv é a capital e a região metropolitana, onde serão feitas operações para coibir acidentes e transporte de materiais ilícitos. Blitze da Lei Seca e de controle de velocidade serão ampliadas.
“Ações foram iniciadas e serão intensificadas à medida que o evento se aproxima. Vamos contar com reforço da própria unidade e também do administrativo”, afirma o assessor de imprensa da PM, capitão Flávio Santiago. O contingente da PMRv é de 190 homens e o reforço deve ser de outros 40.
Danny Zahreddine, professor de relações internacionais da PUC Minas, diz que a estratégia deve ser pensada considerando cada uma das delegações. “Não vamos conseguir um esquema de segurança com todas as ligações cobertas. Precisamos cobrir pontos sensíveis, como áreas de aglomeração. O deslocamento é um desafio tremendo, principalmente quando se trata de alguns países, como a França”.
A estratégia pensada para a malha rodoviária é bem-vinda. Mas, de acordo com o especialista, o trabalho mais importante deve ser realizado pela equipe de inteligência das polícias. “O que evita de fato um eventual ataque é a prevenção por meio do monitoramento de conversas e de indivíduos suspeitos”.

segunda-feira, 25 de julho de 2016

PMMG inicia treinamento do Batalhão Olímpico em BH com 2.315 militares

Esportes - Belo Horizonte - Minas Gerais - 
Treinamento do Batalhao Olimpico da Policia Militar, respons‡vel pela seguranca da regi‹o metropolitana de BH durante os jogos Ol’mpicos do Rio de Janeiro.
 
Foto: Uarlen Valerio/ O Tempo 20160725

Grupo especial se juntará ao policiamento diário, que também será reforçado; preparação é feita de forma abrangente, já pensando em possíveis atos terroristas

A Polícia Militar de Minas Gerais iniciou, nesta segunda-feira, os treinamentos do Batalhão Olímpico, responsável pela segurança das delegações, turistas, árbitros e da população da região metropolitana de Belo Horizonte durante as Olimpíadas do Rio de Janeiro. O grupo especial, formado por 2.315 policiais, será aliado ao policiamento diário, que também será reforçado.

O foco das ações policiais será nos locais que receberão as competições oficiais, como o Mineirão, que sediará 10 jogos de futebol, os centros de treinamentos oficiais, os hotéis onde as delegações ficarão hospedadas, as principais vias da região metropolitana, aeroportos, sistema de transporte público como Move, BH BUS e metrô, além de qualquer área que seja impactada direta ou indiretamente pelos Jogos Olímpicos, como informa o comandante do Batalhão Olímpico, o tenente coronel Lupércio Peres.
“Esse Batalhão Olímpico é um batalhão extraordinário e com o foco voltado para uma atividade suplementar das atividades rotineiras da Polícia Militar. O Batalhão vai atuar não somente nos estádios ou em seu interior, mas em todos os locais que sofram algum tipo de impacto das Olimpíadas”, afirma.

Mesmo com a prisão de suspeitos de planejarem terrorismo no Brasil, na última semana, Peres afirma que a preparação não muda, uma vez que ela já foi pensada de forma abrangente. “Não muda em nada a nossa preparação porque a Polícia Militar já vem se preparando para qualquer tipo de evento, seja no caráter de segurança pública, seja envolvendo grandes massas. Nós estamos preparados e preparando ainda mais a nossa tropa para qualquer tipo de atividade, ocorrendo ou não. A ideia é não ser surpreendido”, analisa.
A força suplementar com todos os policiais fará o treinamento de uma semana e entrará em ação do dia primeiro ao dia 21 de agosto. “Esse treinamento envolve tanto questões teóricas, com especialistas de cada setor, como também de oficinas específicas para realizar a parte prática”, diz.
O tenente Coronel afirma que jogos de grande visibilidade e público, além do embate entre Estados Unidos e França - países alvos do Estado Islâmico -, a preocupação com a segurança será ainda maior. “Nós estamos tratando todos os fatores como importantíssimos. Logicamente, existem eventos que atraem mais público, e com certeza o viés é de uma atuação mais efetiva. Em dias de jogos, com o aumento da chegada de pessoas em BH e em Minas e em dias de partidas de seleções mais conhecidas, a preocupação também será maior”. 
O militar informa ainda que existe uma integração eficiente entre a Polícia Militar e as outras forças de segurança nacionais e internacionais, para que a atuação da PM ocorra da melhor maneira possível. “Estamos muito bem integrados com todos os órgãos de defesa social. Temos tido informação de minuto a minuto, em tempo real, e isso tem tramitado muito bem dentro dos sistemas, tanto no setor de inteligência da PM quanto de outras forças com os seus setores de inteligência. Acredito que essa integração tem dado aporte para a nossa preparação, lançamento e execução das atividades”, conclui.

Mais de 144 milhões estão aptos para votar este ano, diz TSE

25/07/2016 11h44 - Atualizado em 25/07/2016 13h13

São Paulo é a cidade com mais eleitores; a com menos é Araguainha (MT).
Maioria dos eleitores são mulheres, segundo o tribunal.

Mariana OliveiraDa TV Globo, em Brasília

O Tribunal Superior Eleitoral divulgou nesta segunda-feira (25) que 144.088.912 brasileiros estão aptos para votar em 5.568 cidades nas eleições municipais do dia 2 de outubro próximo.
A cidade de São Paulo é a que possui o maior número de eleitores : 8.886.324. Já o menor eleitorado está em Araguainha, no Mato Grosso, com 954 eleitores.
Do total de eleitores registrados, a maioria (52,21%) são mulheres - 75.226.056. Entre os homens, os eleitores aptos são 68.767.634 (47,73%). Nestas eleições municipais, 2.311.120 eleitores têm 16 ou 17 anos e 11.352.863 têm mais de 70 anos.
Segundo o TSE, 92 municípios poderão ter segundo turno porque têm mais de 200 mil eleitores.
Em 2.380 cidades  haverá votação com identificação biométrica, sendo que em 1.540 haverá 100% de biometria e em 840 cidades o sistema será híbrido, com a verificação pela digital apenas para parte dos eleitores, aqueles que já possuem dados coletados.
'Distorções' no teto de gastos
Na apresentação dos dados, o presidente do TSE, ministro Gilmar Mendes disse que há "distorções" no teto de gastos de candidatos a prefeito e a vereador fixados pelo tribunal com base na minirreforma eleitoral, aprovada pelo Congresso no ano passado.
Na semana passada, o TSE divulgou os dados dos tetos e verificou-se que candidato a vereador em Manaus poderá gastar R$ 26 milhões na eleição deste ano enquanto um candidato a vereador em São Paulo, maior eleitorado, poderá gastar R$ 3 milhões. De modo geral, o teto nas cidades com mais de 10 mil eleitores deve ser de 70% do maior gasto declarado em 2012.
Gilmar Mendes considerou que casos em que houve distorções terão que ser discutidos pelo plenário do TSE.
"Nesses municípios, por alguma razão, se fez declaração que não correspondia aos fatos. Portanto, não se cuidou da discussão sobre os gastos declarados. O que se fez foi tirar fotografia, aplicando-lhes o redutor. Temos essa fotografia um tanto quanto distorcida. É uma questão, sem dúvida nenhuma, delicada, e terá que ser submetida ao TSE. A boa intenção do legislador é evidente, mas não contava ele com as distorções perpetradas por declarações que não correspondem minimamente à realidade", disse o presidente do TSE.

Eleições de 2016 serão um experimento institucional, diz Gilmar

tse

Segundo o ministro, a organização do pleito, será um teste que mostrará ao país a necessidade de mudança na legislação

Gilmar Mendes
Mendes afirmou que as eleições municipais deste ano serão um "experimento institucional", diante do impacto da Lava Jato
PUBLICADO EM 25/07/16 - 13h05
O presidente do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), Gilmar Mendes, afirmou nesta segunda-feira (25) que as eleições municipais deste ano serão um "experimento institucional", diante do impacto da Lava Jato no sistema político do país e também das novas regras eleitorais, que impõem restrições ao financiamento das campanhas.
A afirmação foi feita pelo ministro durante a apresentação de dados sobre a disputa municipal mostrando, por exemplo, que 144 milhões de brasileiros estão aptos para votar no dia 2 de outubro, escolhendo prefeitos e vereadores.
Essa será a primeira eleição em que a doação empresarial para candidatos e partidos está proibida. A nova legislação estabelece que somente pessoas físicas doem dinheiro ou valores estimáveis em dinheiro para campanhas eleitorais, limitando-se a 10% dos rendimentos brutos do doador no ano anterior à eleição. Também é liberado o uso do fundo partidário.
O receio de especialistas é de que seja montado um esquema de "cooptação de CPFs", para mascarar doações.
"A preocupação é com caixa dois financiamento ilícito e a possibilidade de falta de recursos regulares. Alguns jornais tem publicado a possibilidade de que organizações criminosas participem das eleições de maneira mais enfática em função dessas restrições estabelecidas. Por outro lado, acredito que as empresas regulares, em princípio, tendo em vista essas operações, como a Lava Jato e outras, não vão se animar para uma operação de caixa dois", disse Mendes.
"Temos uma realidade muito complexa. Eu considero que demos um salto no escuro de termos feitos escolha pelo fim da doação privada sem mudar o sistema eleitoral, completou.
Segundo o ministro, a organização do pleito, será um teste que mostrará ao país a necessidade de mudança na legislação. "Eu tenho essas eleições como um experimento institucional. Certamente, em novembro precisaremos discutir uma reforma inclusive dessa legislação. "
Os candidatos que vão disputar as urnas também terão que seguir um teto fixado pela legislação. O maior é o limite de R$ 45,4 milhões para cada candidato à Prefeitura de São Paulo. No caso dos vereadores, um erro no registros das eleições de 2012, levou o TSE a fixar o teto de R$ 26,8 milhões para cada candidato a vereador de Manaus (AM) -sendo que no município de São Paulo, cada um dos candidatos poderá desembolsar R$ 3 milhões.
Gilmar afirmou que eventuais distorções terão que ser discutidas pelo tribunal.
"Em alguns municípios, por alguma razão, se fez declaração que não correspondia aos fatos. O que o TSE fez foi tirar fotografia e aplicando o redutor [o limite é de 70% em relação ao maior gasto da eleição anterior]. Temos essa fotografia distorcida e ela terá que ser submetida ao TSE", disse.
O ministro afirmou que há uma grande preocupação do tribunal em acabar com o "faz de contas" da prestação de contas dos candidatos e que foi firmado um convênio para a formação de um núcleo de inteligência para ampliar a fiscalização das contas de campanhas das eleições municipais.
Pelo acordo, técnicos do tribunal atuem em conjunto com o órgãos de controle, como Receita Federal, Banco Central, Polícia Federal e TCU (Tribunal de Contas da União) para combater a prática de caixa dois.
O receio do comando do tribunal é que, sem doação, aumente a prática de caixa dois, uma vez que pessoas físicas podem fazer doações.
Segundo o ministro, há uma forte tendência de que o pleito seja judicializado com as novas regras, o que pode levar até a realização novas eleições depois de outubro, ou seja, de eleições suplementares, dependendo do resultado dos questionamentos.
Mendes afirmou que traz preocupação o ritmo de registro de candidaturas. Até agora, a Justiça Eleitoral só recebeu o registro de 122 candidaturas - sendo que são esperadas entre 530 e 580 mil candidaturas. Os partidos têm até o dia 15 para oficializar seus candidatos.
Dados
De acordo com os dados divulgados pelo tribunal, a cidade de São Paulo é a que possui o maior número de eleitores: 8.886.324, sendo que Araguainha, no Mato Grosso, registrou 954 eleitores -30 a mais do que em 2012.
Do total de eleitores registrados, 52% são mulheres (75,2 milhões). Em todo o país, 2.311.120 eleitores têm de 16 a 17 anos e 11.352.863 tem mais de 70 anos. Para esse eleitorado, o voto é facultativo.
Segundo os dados do tribunal, 92 municípios poderão ter segundo turno, já que possuem mais de 200 mil eleitores.
Ao todo, 2.380 municípios terão urnas com identificação biométrica, sendo que em 840 cidades o sistema será híbrido, com a verificação pela digital apenas para eleitores que já possuem dados coletados. Isso porque o cadastramento nessas localidades não era obrigatório.
Loading...
Loading...

Arquivo do blog